Antonio Octavio Cintra

Entrevista

Currículo

27 de janeiro de 1977 a 4 de março de 1980

Nascido em Sabará, Antonio Octavio Cintra graduou-se em Sociologia e Política pela Universidade Federal de Minas Gerais e tornou-se mestre em Sociologia e doutor em Ciências Políticas pela Massachusetts Institute Of Technology. Antônio Octávio foi o sétimo presidente da Fundação João Pinheiro, ocupando o cargo no aniversário de dez anos da FJP. Ao relembrar deste aniversário, se recorda da programação desenvolvida, “ambiciosa” segundo o próprio, onde tentaram chamar para cada dia de um grande seminário, um ministro do Governo Federal, aonde somente vieram dois, João Camilo Penna (Ministro da Indústria e Comércio do Brasil) e Murilo Macedo (Ministro do Trabalho), houve uma publicação e uma festa comemorativa também.

Sobre o tempo como presidente diz que aquele momento era de muitos recursos, onde a arrecadação teve um desempenho muito bom, e a Fundação pode contratar gente com salários bons, e que puderam desenvolver trabalhos e projetos com qualificação, em especial, o Plano Noroeste que segundo Antônio seria o carro chefe naquele momento, além do Plano do Sul de Minas. Em seu período também, houve a criação da ATP – Assessoria Técnica da Presidência, onde seu papel seria examinar tecnicamente produtos desenvolvidos pela casa, filtrando então o que chegaria ao Presidente, sendo uma ponte entre os pesquisadores e o próprio presidente.

Quanto ao papel da Fundação, Antônio acredita que deveria se estender além de Minas Gerais: “Eu acho que a Fundação tem que ter esse papel, aqui de Minas Gerais, mas tem também, na minha visão, que ser um órgão que dê palpites sobre as coisas nacionais, de política econômica, política social, avaliação de coisas. Não tem que avaliar só Minas Gerais não, avaliar o Brasil, eu acho que isso é um ponto que eu chamaria atenção”.