Hamilton Parma

Entrevista

Currículo

21 de março de 1987 a 25 de maio de 1988

Hamilton Parma nasceu na capital mineira no dia 28 de outubro de 1931. É graduado em Ciências Econômicas e em Direito pela UFMG, além de possuir pós-graduação e especialização na Universidade de Hofska, em Nova Jersey nos Estados Unidos. Hamilton exerceu diversos cargos em órgãos públicos como na Receita Federal, Secretaria da Fazenda e foi professor da UFMG e da Escola de Administração Fazendária.

Hamilton Parma foi Presidente da Fundação João Pinheiro por pouco mais de um ano, no período entre 1987 e 1988. Caracterizado como um período conturbado, Hamilton passou por diversas situações delicadas e diz ter recebido a Fundação João Pinheiro em um momento complexo, com problemas na folha de pessoal. A classificação que deu ao receber a Fundação foi a de que “estava no falecimento, teve mal organizada, no princípio, teve um ponto áureo, e teve a decadência. Decadência pura, eu encontrei decadência pura. Tudo desarticulado”, sem produção efetiva e com seus recursos humanos defasados.

O seu desafio foi recuperar o trabalho na Fundação e em sua fala, garante que resolveu os problemas da FJP apesar das dificuldades enfrentadas: “coube a mim não deixar que ela morresse”. Ademais, caracteriza que a criação do curso superior de administração pública foi um desastre, não fazendo sentido gastar tanto dinheiro com um curso que já existia nas universidades federais.

Para terminar, conclui com a necessidade do papel da Fundação para o Estado, “O nosso estado precisa da Fundação, mas a Fundação dirigida tecnicamente com o objetivo técnico de melhorar o estado de vida das pessoas, das rendas de cada um, das nossas esperanças de conseguir realizar os nossos sonhos. Nós precisamos se organismos de governo que pensem no povo, gente. Tem que pensar no povo”.