José Israel Vargas

Entrevista

Currículo

Março de 1975 a janeiro de 1977

José Israel Vargas nasceu em 9 de janeiro de 1928 na cidade de Paracatu e reúne em sua trajetória o poder do espírito científico, reconhecido internacionalmente pela sua extensa e expressiva atuação na área da ciência e tecnologia. Recebeu da Ordem do Império Britânico a condecoração com a Knight Commander e, no Brasil, a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, além de outras premiações nacionais que reconheceram o valor de suas ações cidadãs e científicas³.

Químico de formação, atuou na área das ciências nucleares, pesquisando na França durante a segunda metade dos anos 1960, numa experiência de exílio voluntária decorrente do golpe civil-militar de 1964.  Presidente da Fundação João Pinheiro na década de 1970, José Israel Vargas ficou pouco mais de um ano e meio no cargo, tendo como um de seus papeis fundamentais trazer investimentos para os projetos desenvolvidos na Fundação. Inicialmente ficou preocupado, pois a situação da Fundação era definida por ele como “crítica” e que passava por uma grande crise financeira, um desafio complicado. Destacou-se como um projeto de grande importância e que trouxe a Fundação João Pinheiro ótimos investimentos, o Plano Noroeste, marcado pelos estudos de planejamentos regionais, econômicos e ambientais da região noroeste de Minas.

Deixa clara a importância da Fundação para o funcionamento do Estado: “Eu acho que atividade de planejamento é essencial, planejamento econômico, social, isso é essencial! Segundo, que um órgão como a Fundação é importante para o estado de Minas e para o país em geral, pode desempenhar no futuro o mesmo papel que desempenhou no passado, numa época em que é considera áurea”, e termina: ”mas eu creio que a Fundação só terá o mesmo impacto e as mesmas possibilidades, não só a Fundação, todos os órgãos análogos, com o fim do regime, do dispositivo constitucional do regime jurídico único”.