Roberto Gonçalves Pereira

Entrevista

Currículo

24 de abril de 1990 a 4 de junho de 1991

Roberto Gonçalves Pereira nasceu em 1947 em Ipanema e foi o décimo quarto presidente da Fundação, durante o período de 24 de Abril de 1990 e 4 de junho de 1991. Antes de assumir a presidência na FJP, Roberto passou por uma longa trajetória profissional, tendo trabalhado na Força e Luz/Cemig, Ruralminas, Secretaria de Governo, Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e no Programa Estadual de Cidades Intermediárias (Proesci).

A situação da FJP logo que assumiu seu mandato foi conturbada e de certa dificuldade, marcado por um déficit financeiro e um quadro de funcionários completamente desmotivados. Por isso, assim que entrou na Fundação sua perspectiva era de reverter esse quadro, o que foi feito através do financiamento de alguns projetos pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, (Fapemig). Além disso, também foi fundamental a estruturação de um Plano de Carreira dentro da FJP, que permitiu valorizar e motivar os funcionários, e também o projeto de criação da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) designado à Fundação.

Sobre a Fundação João Pinheiro o ex-presidente comenta que: “Fundação, gente, é a cabeça pensante, tem que ser reconhecida. Por que a Fundação hoje não tem a mesma notoriedade da Fundação Getúlio Vargas? Porque os governos não dão essa oportunidade para a Fundação. Só isso.  Para mim, é só isso. É uma pena, uma pena que eles não fazem isso, lamento muito, porque a minha impressão na Fundação João Pinheiro é a melhor possível, e continuo achando […]”.